Tenhamos gratidão diante do Senhor e reconheçamos sua soberania


- Texto para reflexão: Então Ana orou, dizendo: O meu coração exulta no Senhor; o meu poder está exaltado no Senhor; a minha boca dilata-se contra os meus inimigos, porquanto me regozijo na tua salvação. Ninguém há santo como o Senhor; não há outro fora de ti; não há rocha como a nosso Deus (I Samuel 2.1-2).

Vejam a grande gratidão no coração de Ana. Ela faz uma oração de louvor, de exaltação ao Senhor no seu coração, na sua alma. Ela louva o poder de Deus, ela louva ao Senhor porque ele é a sua rocha eterna, a sua salvação no meio das angústias da alma. Agora, olhem a teologia do coração de Ana. Ela através da oração, da busca pela esperança na ação de seu Deus descobre no seu coração um Deus poderoso, um Deus fiel, um Deus que salva, um Deus que é santo, um Deus que é a sua rocha. Ela descobre um Deus cheio de sabedoria que pesa as nossas ações. Porque ele desnuda todos os nossos pensamentos (versículo 3).
Ela descobre um Deus que faz dos fortes quebrados e dos fracos que sejam cingidos de força. (versículo 4). Ela descobre um Deus que faz estéril ter sete filhos e a que tinha muitos filhos enfraquece (versículo 5). Ela descobre um Deus que tira a vida e a dá, que faz descer ao Seol e faz subir dali (versículo 6). Ela descobre um Deus que é absolutamente soberano. Então ele empobrece e enriquece; abate e também exalta (versículo 7) Ela descobre um Deus misericordioso que levanta do pó o pobre, do monturo eleva o necessitado, para o fazer sentar entre os príncipes, para o fazer herdar um trono de glória (versículo 8).
Ela descobre um Deus que controla todas as coisas porque do Senhor são as colunas da terra, sobre elas pôs ele o mundo (versículo 8b). Ela descobre um Deus que guarda os pés dos seus santos (versículo 9). Ela descobre um Deus que quebranta os que contendem com ele de maneira quebrantada (versículo 10).
Ela descobre um Deus que julgará as extremidades da terra; dará força ao seu rei, e exaltará o poder do seu ungido.
A relação de Ana com o seu Deus fez dela uma pessoa de gratidão no coração e alguém que soube reconhecer a grandeza do Senhor. Esta relação fez Ana reconhecer o quanto Deus era soberano na sua existência. Ana valoriza tanto esta realidade na sua vida que quer dedicar Samuel inteiramente para a causa do Pai e isto sem hesitação, pois, o texto diz que Samuel ficou servindo ao Senhor perante Eli. E nós somos como esta mulher chamada Ana, temos gratidão no coração diante do Senhor?
Ana louva a majestade, o poder, o cuidado a rocha que o Senhor é na sua vida. Ela louva com a teologia do coração a soberania de Deus em fazer coisas excelentes. Ela reconhece esta ação de Deus em cada passo da sua vida. E nós, temos reconhecido Deus na nossa caminhada? Reconhecemos que ele tira a vida e a dá? Reconhecemos que ele empobrece e enriquece; abate e também exalta? Reconhecemos que Deus controla todas as coisas porque do Senhor são as colunas da terra, sobre elas pôs ele o mundo?
Se isto não acontece na nossa relação com o Pai, algo está errado. Precisamos rever o nosso coração e pedir a graça do Pai para agirmos como Ana, que entregou tudo, ofereceu tudo e teve um coração grato e reconhecido da grandeza do Pai.
_______________
Alcindo Almeida - pastor na IP Pirituba.

Comentários

Postagens mais visitadas