Ofereçamos o melhor da vida para Deus


- Texto para reflexão: Quando o menino for desmamado, então e levarei, para que apareça perante o Senhor, e lá fique para sempre. E Elcana, seu marido, lhe disse: faze o que bem te parecer; fica até que o desmames; tão-somente confirme o Senhor a sua palavra. Assim ficou a mulher, e amamentou seu filho, até que o desmamou (I Samuel 1.22-23).

“Orar significa abrir as mãos perante o Pai e assim nós o encontramos na brisa suave, na angústia e na alegria” (NOUWEN, Henri. Oração – Como é como se faz. São Paulo, Editora Loyola, 1999, p. 77). A oração é o sopro da vida para que ofereçamos toda a nossa vida no altar do Pai e aprendamos quem ele é o que ele faz em nós e por nós. Creio que foi exatamente isto que aconteceu na vida de Ana.
Aqui no texto depois de ouvir a palavra de paz do sacerdote Eli, Ana vai para casa, come e o texto diz que o seu semblante já não era triste. O texto diz que Elcana conheceu a Ana, sua mulher, e o Senhor se lembrou dela. Diz que Ana concebeu e, no tempo devido, teve um filho, ao qual chamou Samuel; porque, dizia ela, o tenho pedido ao Senhor. O texto diz que depois de tê-lo desmamado, ela o tomou consigo, com um touro de três anos, uma efa de farinha e um odre de vinho e o levou à casa do Senhor, em Siló. E era o menino ainda muito criança. Então degolaram o touro, e trouxeram o menino a Eli. E disse ela: Ah, meu Senhor! Tão certamente como vive a tua alma, meu Senhor, eu sou aquela mulher que aqui esteve contigo, orando ao Senhor. No versículo 27 ela disse: Por este menino orava eu, e o Senhor atendeu a petição que eu lhe fiz. Por isso eu também o entreguei ao Senhor; por todos os dias que viver, ao Senhor está entregue. E adoraram ali ao Senhor.
Vejam a fibra desta mulher em oferecer a única coisa que ela tinha na sua vida. Ela ganha do Senhor um presente e o consagra imediatamente. E depois de 3 anos de desmame, ela o entrega com uma oferta de um novilho de três anos, um efa de farinha e um odre de vinho, e leva o menino Samuel à casa do Senhor.
Quantos fariam o mesmo que esta mulher fez?
Ela era estéril, estava aflita por causa deste problema crucial em seu coração. Daí, ela passa um ano, dois anos curtindo como mãe aquele presente recebido do Pai. E agora, no terceiro ano em que ele desmama, ela resolve cumprir o seu voto de dedicar o menino inteiramente ao Senhor. E quando ela fizesse isto, seria para não ter Samuel mais ao seu lado. Ela se desprenderia dele e o daria ao Senhor. Você faria isto? Você dedicaria o melhor presente que Deus lhe deu e devolveria para ele?
Esta mulher fez isto e encontrou momento de adoração no seu coração. Ele ofereceu o melhor da sua vida para o seu Senhor sem murmurar. Sem sofrer, sem pensar: Puxa, agora todos vão me chamar de doida. Penina pegará no meu pé. Não, ela não se preocupou com nada, a única preocupação dela, era oferecer o melhor tesouro, a melhor coisa que lhe aconteceu para o seu Senhor. Então, ela o entrega a Eli e diz: Por isso eu também o entreguei ao Senhor; por todos os dias que viver, ao Senhor está entregue. E adoraram ali ao Senhor.
Que ato de fé, que ato de entrega do melhor para o Senhor! É exatamente esta fé, este compromisso que o Pai espera de nós. Ele espera que consagremos a nossa vida inteira para ele. Ele espera que depositemos toda a nossa confiança nele, com tudo o que somos, tudo o que temos, com toda a nossa força. Deus quer o melhor de nós. Só que a realidade não tem sido esta, às vezes, damos o resto para o Pai. Damos o que sobrou do domingo, damos o que sobrou da quinta. Damos aquilo que não nos custou nada, aquilo que foi fácil demais para conquistarmos.
Não, Ana deu o melhor, ela ofereceu a sua própria vida para o Senhor Deus. Exatamente isto que devemos fazer para o Pai, pois ele fez isto para conosco. Ele deu o melhor presente para nós, ele deu o seu próprio filho para morrer em nosso lugar na cruz do calvário. Pare de andar por você mesmo, para de fazer as coisas para você mesmo! Pare de lutar pelos seus próprios ideais e lute pelos ideais do Senhor! Ande para o Senhor, faça o melhor para o Senhor. Faça como Paulo que dizia: Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas vou prosseguindo, para ver se poderei alcançar aquilo para o que fui também alcançado por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus (Filip 3.12-14).

_____________
Alcindo Almeida

Comentários

Postagens mais visitadas